Posts Recentes

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Resenha – O Fantasma de Anya

Olá pessoal! Como é que estão aí? Por aqui está tudo tranquilo ^^. Então, na ultima sexta era para ter rolado post, mas tive um imprevisto e acabou não rolando (sorry). Mas o que importa é que hoje estou aqui e trouxe uma resenha bacana para entrar nesse clima de mês das bruxas :D.

Esses dias eu e Pedro estávamos dando uma voltinha na Livraria cultura que a gente sempre dá quando vai no shopping para ver as novidades. Bom, desta vez eu dei de cara com um livro que tinha uma ilustração interessante na capa, daí peguei para ver do que se tratava e percebi que na verdade era uma história em quadrinhos e lógico que fiquei mais interessada ainda no conteúdo, e quando li no cantinho da capa uma recomendação de Neil Gaiman (autor de Deuses Americanos e Sandman) dizendo ser “uma obra-prima dos quadrinhos e da nova literatura” e que a obra havia vencido os prêmios Harvey e Eisner, o interesse triplicou.


A obra em questão como vocês viram no título é O Fantasma de Anya da autora Vera Brosgol, qual participou como artista conceitual da produção das animações Coraline e Paranormal (Uaau). O quadrinho foi lançado em 2011, mas só chegou a terras brasileiras em 2013 pela editora Pensamento- Cultrix, através do sele editorial Jangada.

O Fantasma de Anya trás a história de uma adolescente russa vivendo nos Estados Unidos. Anya, assim como a maioria dos jovens, sente-se insegura em relação a seu corpo, ela se acha gorda, tem vergonha de onde veio, da família, estudou inglês para perder seu sotaque, dá uma de adolescente rebelde e ainda é apaixonada por um cara que além de ter namorada não parece ser o que é. Ela tem apenas uma amiga com quem contar a Siobhan que é irlandesa e sempre aparece no colégio onde Anya estuda para matarem o tempo juntas e fumar cigarros.


Mas e o fantasma? Esse é o ponto da história onde a vida de Anya começa a mudar, pois ela cai num buraco numa região que não passa muita gente, e como se isso não fosse ruim o bastante, Anya percebe que não está sozinha, mas acompanhada de um fantasma de uma jovem que morreu há uns 90 anos atrás e a causa da sua morte é um mistério. Emily é um fantasma solitário, afinal de contas ninguém mais caiu no buraco ao longo dos anos, e é por isso que ela fica feliz com a presença de Anya, pois seu desejo era uma companhia, alguém para conversar, um amigo.

É a partir da solidão que Emily tenta a todo custo ser amiga de Anya, a seguindo, ajudando-a na escola e dando força para ela conquistar o garoto que gosta. Mas nem tudo parece ser o que realmente é... Emily começa a mudar e apresentar um comportamento diferente, o seu humor muda, ela passa a querer que Anya viva o que ela não viveu e tudo isso começa a assustar Anya que dá uma de detetive com intuito de que Emily encontre “sua paz”.


Mas, o que será que Anya vai descobri? Será que o passado é bem mais obscuro do que ela imagina? E será que Emily irá ficar em paz? Bom, isso vocês vão ter que descobri lendo, porque é uma leitura bem gostosa e que vale a pena. Além de uma boa leitura, tem as ilustrações que são bem feitas, os tons de roxo, lilás, preto e branco deu todo um ambiente para história, sem contar no assunto que vem a tona e que é tão comum na vida de tantos jovens, a insegurança com o próprio corpo e aparência, fazendo com que muitos adolescentes sofrerem sem necessidade, pois a mídia insiste em querer que todos sejam magros, rodeados de amigos e sendo popular na escola.

A personagem da história está querendo ser uma jovem americana, mas pense quantos jovens que foram para um novo país sofreram bullying devido a sua forma de falar, se vestir e se comportar. Pois é, Anya se sentiu tão insegura pelo que era que acabou se tornado quem não era, apenas para ser aceita, mas essa “aceitação” fez com que ela se desfizesse de uma boa relação com sua mãe e seu irmão, de suas crenças e costumes e até do sua própria identidade. E isso é tão triste, porque o jovem está tão desesperado para não ser a piada da escola, do bairro e do grupo que nem percebe o que está fazendo com ele mesmo.


Não deveria ser assim né? Mas a sociedade ainda insiste em reforçar todo o tipo de estereótipo que existe, porém, ainda bem, que existem pessoas que pensam diferente e querem mudar tudo isso. Por isso, não seja agente do caos, seja bondoso, ensine as suas crianças a serem bondosas e respeitar as diferenças. Todo mundo passa por uma batalha pessoal que a gente nem faz ideia, então vamos ser gentis e parar de julgar os outros. Deixa as pessoas serem o que elas quiserem ser, certo? Aaah! E outra coisa... Não confie em qualquer fantasma por aí hein?

Espero que tenham gostado da resenha! Quem já tinha lido O Fantasma de Anya? O que acharam? Compartilhe comigo! Eu vou adorar ^^.


Beijinhos e até a próxima.

11 comentários:

  1. Gostei muito da resenha, Carla. ^^ Achei esse livro perfeito para o mês do halloween. (heheheh) =D Fiquei super curiosa para lê-lo e saber o desenrolar da história de Anya e se a fantasma conseguiu encontrar a paz. Gostei muito da indicação de leitura. =)
    Beijinhos ♥

    Contadora de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário!
      Fico feliz que tenha curtido a indicação!
      Beijos

      Excluir
  2. Eu quero! *.* mt lindo esse livro, fiquei curiosa com o desfecho da história, e aí a Emily é má msm, encontra sua paz?! Nossa *.* Ah sim, esse é um assunto complicado: aceitação. Concordo ctg que a mídia é mega cruel com a gente, e, como o tempo a gente começa a ver as coisas diferente a se aceitar melhor mas, adolescência é um período mega conturbado com relação a isso e as pessoas são extremamente cruéis. Adorei a resenha Carla! super bjus e bom fds linda!

    Metamorphya •••

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário!
      Tem que ler para saber se Emily é má mesmo... rsrs
      Essa coisa de aceitação é bem complicada mesmo, temos que apoiar mais as pessoas em se amar e gostar mais de si mesmo ;).
      Beeijo grande.

      Excluir
  3. Essa história parece sensacional!! Sério! Adoro essa pegada mais macabra e ao mesmo tempo fofa, capaz de abordar os dilemas da vida de uma adolescente e também a auto-aceitação. A ilustração é lindinha! Preciso na minha estante, só para constar (amo coraline) hahaha Beijos!

    Colorindo Nuvens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário!
      Então você vai gostar muito da história!
      Também gosto de Coraline <3.
      Beeijos

      Excluir
  4. Adorei as questões que o livro fala, que é esteriótipos e aceitação.
    Amei sua resenha e vou procurar ele aqui na minha cidade <3

    www.criatividadesem.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadaaa pelo comentário!
      Espero que tenha encontrado e aproveitado a leitura ^^
      Beeijos

      Excluir
  5. Olha, pro Gaiman indicar tem que ser muito top mesmo!
    E a história me cativou muito! <3
    Adorei a resenha!
    A Bela, não a Fera | Youtube A Bela, não a Fera | Fã Page no Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando vi na capa a indicação dele... Influenciou tipo 90% na compra!
      Obrigadaaa pelo comentário!
      Beijo

      Excluir
  6. Vou aproveitar e te fazer um convite!
    Está rolando um sorteio especial de 3 anos de blog lá no meu cantinho. Estarei sorteando 4 itens "medievais" que podem servir pra homem e pra mulher.

    Se tiver interessada em participar vou deixar o link aqui pra você preencher o formulário.

    No mais, boa sorte desde já!

    Sorteio do blog

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar! Seu comentário é muito importante para nós.
Volte sempre :)

© Mero Detalhe - 2013. Todos os direitos reservados.
Design by: Colorize Desin .
Tecnologia do Blogger .